Mulher sentada ao sofá com dor

Disbiose intestinal: o que é, causas, sintomas e tratamento

 12 minutos de leitura

A disbiose acontece quando as bactérias que compõem nosso trato gastrointestinal – que inclui o estômago e o intestino – ficam desequilibradas.1

Alguns efeitos da disbiose, como dor de estômago, são temporários e leves. Em muitos casos, o próprio organismo pode corrigir o desequilíbrio sem tratamento. Mas se os sintomas se tornarem mais graves, é preciso consultar um médico para avaliar a situação.1
 
A disbiose pode ser um fator de risco para pessoas que possuem Síndrome do Intestino Irritável e Síndrome do Intestino Permeável; doenças intestinais como a colite e o crohn.2
 

O que causa a disbiose intestinal?

Quando a disbiose acontece no trato gastrointestinal, ela é multifatorial, ou seja, proveniente de diferentes razões.1 A seguir, nós elencamos algumas causas da disbiose intestinal:

Tipos de disbiose intestinal

Existem três diferentes tipos de disbiose e identificá-los pode ajudar a solucionar a situação da melhor forma. Na maioria dos casos, você pode ter todos os tipos de disbiose ao mesmo tempo. Veja quais são: 2

Tipo 1 

Ocorre quando há perda de boas bactérias intestinais. 2

Tipo 2

Ocorre quando há um aumento de bactérias nocivas no estômago. 2

Tipo 3

Ocorre quando há perda de diversidade geral no microbioma intestinal. Isso significa que houve uma redução tanto das bactérias boas quanto das ruins. 2

Somente um médico poderá dizer qual tipo de disbiose você pode ter. Por isso, sempre que necessário, consulte um especialista. 2

Sintomas da disbiose intestinal?

Seus sintomas dependem de onde o desequilíbrio das bactérias se desenvolve. Eles também podem variar com base nos tipos de bactérias que estão desequilibradas. Mas há alguns sintomas comuns em todas as pessoas - não todos juntos necessariamente, é claro. São eles: 1

  • Halitose (mau hálito)1
  • Dor de estômago1
  • Náusea1
  • Constipação ou diarréia1
  • Dificuldade em urinar
  • Coceira vaginal e/ou retal1
  • Inchaço e/ou dor no peito1
  • Erupção cutânea ou vermelhidão1
  • Fadiga e/ou problemas de concentração1
  • Ansiedade e/ou depressão1
  • Muco nas fezes1

Como diagnosticar a disbiose

O mais importante é que seu médico analise de cara o seu histórico médico e sintomas. Isso se chama anamnese, essa conversa prévia e rica em detalhes entre médico e paciente.1 Depois dessa etapa, ele pode coletar uma amostra de bactérias ou tecido (a famosa biópsia) de uma área de uma infecção ativa para ver quais bactérias estão causando a infecção, ou solicitar um ou vários dos seguintes testes de diagnósticos1:

Teste de ácidos orgânicos

Uma amostra de urina é recolhida e enviada para um laboratório, onde um técnico testará ácidos que as bactérias podem produzir. Se esses níveis de ácido forem anormais, isso pode significar que certas bactérias estão desequilibradas. 1

Análise digestiva abrangente de fezes (CDSA)

Esse exame exige que você leve para sua casa um equipamento especial, a fim de obter uma amostra do seu cocô. Você devolverá esta amostra ao seu médico para testes de laboratório, onde será analisado quais bactérias, leveduras ou fungos estão presentes. 1

Teste de respiração de hidrogênio

É preciso beber uma solução de açúcar e respirar em um balão especial. O ar no balão pode então ser testado para gases produzidos por bactérias. Muito ou pouco de certos gases pode indicar um desequilíbrio bacteriano. Este teste é frequentemente usado para testar o supercrescimento bacteriano do intestino delgado (SIBO). 1 Como existem muitas diferenças entre as microbiotas intestinais de pessoas saudáveis, não há uma maneira padrão de diagnosticá-la. Por isso o histórico médico é tão importante. 3

Tratamentos para a disbiose intestinal

O tratamento dependerá, é claro, do que ocasionou sua disbiose. Em casos medicamentosos, por exemplo, onde um antibiótico pode ter sido a causa do desconforto, exige que o paciente interrompa o tratamento com esse remédio até que o equilíbrio bacteriano seja restaurado, o que provavelmente acontecerá sozinho. 1

Pode ser também que você tenha que se consultar com um nutricionista, caso sua disbiose seja resultado de uma dieta desequilibrada. Ele estará atento aos seus níveis de vitaminas do complexo B, cálcio, magnésio, betacaroteno e zinco. Alimentos verdes escuros, peixes e carnes frescas são boas pedidas.1

Da mesma forma, alguns alimentos poderão ser reduzidos na sua dieta por conterem excesso de nutrientes ou até substâncias químicas nocivas. São eles: carnes processadas, como frios e carnes salgadas ou enlatadas; carboidratos em milho, aveia ou pão; algumas frutas, como bananas, maçãs e uvas; laticínios, incluindo iogurte, leite e queijo; alimentos ricos em açúcar, como xarope de milho, xarope de bordo e açúcar de cana. 1

Somente um profissional pode orientar sobre quais alimentos priorizar e quais alimentos podem estar causando desequilíbrios na sua flora intestinal. 

Também é possível contar para te ajudar a recuperar a harmonia da sua microbiota intestinal. Os probióticos contêm culturas de bactérias específicas necessárias ao organismo. A seguir mostramos para você alguns alimentos ricos em probióticos:

  • Iogurte 4
  • Kefir 4
  • Chucrute 4
  • Kombucha 4

Os probióticos também podem ser obtidos por meio de suplementação alimentar. Se você deseja incluí-los na sua rotina, pode contar com Enterogermina. Um probiótico de tripla ação que: equilibra, restaura a flora intestinal e fortalece a defesa de toda a família.5

Enterogermina conta com o Bacillus clausii, uma bactéria benéfica, formadora de esporos, que chegam intactas (vivas) ao intestino grosso, onde germinam e se reproduzem. No intestino grosso, a combinação única das 4 cepas do Bacillus clausii interagem com a microbiota ali presente e promovem seus benefícios, comprovados cientificamente, através da recuperação e manutenção do ecossistema intestinal. 6 7
 

Como prevenir a disbiose?

Algumas mudanças no estilo de vida podem ajudar a prevenir episódios de disbiose. Veja a seguir: 

  • Tome antibióticos apenas quando necessário e sob orientação médica 1
  • Reduza o consumo de álcool 1
  • Cuide da sua higiene bucal, escove os dentes após as refeições e use fio dental 1
  •  Use preservativo durante as relações sexuais para prevenir a propagação de bactérias e infecções sexualmente transmissíveis 1

Compartilhe

    1. What Causes Dysbiosis and How Is It Treated?: Healthline. Disponível em: <https://www.healthline.com/health/digestive-health/dysbiosis>. Acesso. Out.2022.
    2. What Is Dysbiosis?: WebMD. Disponível em: <https://www.webmd.com/digestive-disorders/what-is-dysbiosis>. Acesso. Out.2022.
    3. Bolen, Barbara. Dysbiosis: Overview and Treatment: Verywell Health. Disponível em: <https://www.verywellhealth.com/what-is-intestinal-dysbiosis-1945045>. Acesso. Out.2022.
    4. Palsdottir,Hrefna. 11 Probiotic Foods That Are Super Healthy: Healthline. Disponível em: <https://www.healthline.com/nutrition/11-super-healthy-probiotic-foods>. Acesso. Out.2022. 
    5. Uma flora intestinal equilibrada promove um ambiente desfavorável para bactérias patogênicas, promovendo a saúde intestinal. Ref: Lopetuso L et al, 2016; Paixão e Castro, 2016. Disponível em: <https://www.enterogermina.com/pt-br>. Acesso. Out.2022.
    6. Ghelardi E et al. Survival and persistence of Bacillus clausii in the human gastrointestinal tract following oral administration as spore-based probiotic formulation. J Appl Microbiology 2015;119:225-9. Como o Bacillus clausii pode ajudar a equilibrar a microbiota intestinal?: Enterogermina. Disponível em: <https://www.enterogermina.com/pt-br/produto/porque-enterogermina>. Acesso. out.2022.
    7. Vecchione A et al. Quality and potential gastrointestinal behavior of probiotic products comercialized in Italy. Front Med (Lausanne) 2018;5:59. Como o Bacillus clausii pode ajudar a equilibrar a microbiota intestinal?: Enterogermina. Disponível em: <https://www.enterogermina.com/pt-br/produto/porque-enterogermina>. Acesso. out.2022.
      MAT-BR-2205492