O que causa a disenteria?

Esses sintomas mais graves aparecem porque as células intestinais ficam lesionadas quando bactérias ou parasitas provocam uma inflamação no intestino.

Shigelose e Amebíase

A disenteria está intimamente relacionada a doenças como Shigelose e Amebíase.²

Tempo de Duração

Independentemente da causa, o quadro costuma melhorar naturalmente depois de três a sete dias.¹ No entanto, se os sintomas forem muito graves e não passarem com o tempo, é importante consultar um médico para confirmar o diagnóstico e descobrir quais medidas devem ser adotadas para a cura.¹

Tratamento

Caso não seja tratada, a disenteria pode resultar em desidratação, desnutrição, perfuração intestinal, convulsão, dor de cabeça, letargia, desorientação, alucinação, infecção no trato urinário, megacólon tóxico e várias outras complicações.³

Mesmo que feito em casa, o tratamento é fundamental.¹ Ele consiste na reposição de toda a água perdida com o aumento das evacuações³ a partir da ingestão de água, soro caseiro e outros líquidos.¹

Geralmente os analgésicos são utilizados apenas para aliviar dores e febre.¹ Dependendo da causa, para eliminar o agente que provocou a disenteria, o especialista ainda pode recomendar antibióticos ou outros medicamentos antimicrobianos.³

Já quando o objetivo é restabelecer o equilíbrio da microbiota intestinal perdido com a doença, Enterogermina aparece como uma possível solução. Ele é composto por microorganismos vivos e, se for administrado da forma correta, tem a capacidade de reduzir a duração e intensidade da disenteria.

Durante todo esse processo, é fundamental que o paciente fique em casa até pelo menos 48 horas depois do último episódio de diarreia para diminuir o risco de infectar outras pessoas.¹

 

Prevenção

Veja algumas dicas de como prevenir a disenteria e manter sua saúde intestinal em dia!

Lave bem as mãos

Uma das formas mais simples de prevenir a disenteria é lavar as mãos com água e sabão após usar o banheiro, antes das refeições e ao cozinhar, já que a infecção costuma ser adquirida pela ingestão de água ou comidas contaminadas. Por isso, é necessário sempre se certificar que os alimentos estão bem limpos antes de comer.¹

Lave as roupas contaminadas com água quente

Como a transmissão ainda acontece por contato com fezes de doentes, é recomendado lavar com água quente roupas, toalhas e lençóis possivelmente contaminados para evitar a disseminação da doença.¹ Assentos de vasos sanitários, puxadores de descarga e torneiras também precisam ser higienizados após o uso por pessoas infectadas.¹

Prolongamento do aleitamento materno

Outro fator que colabora para a prevenção do quadro é o prolongamento do aleitamento materno, que, assim como a nutrição adequada, confere aos bebês e crianças maior proteção contra microrganismos.³

Procure um médico se necessário

Considerando que a disenteria pode ter complicações bem graves, é essencial estar atento às formas de preveni-la e às características dos sintomas mais graves para que se procure um médico quando cuidados especiais forem necessários.

Confira nossos produtos

Enterogermina oferece uma linha de produtos completa que entregam soluções eficazes para adultos e crianças. Um probiótico de tripla ação: que equilibra, restaura a flora intestinal e fortalece a defesa de toda a família.3

Como o Bacillus clausii pode te ajudar a restaurar e equilibrar sua flora intestinal?

O Bacillus clausii de Enterogermina® é uma bactéria benéfica, formadora de esporos, que chegam intactas (vivas) ao intestino grosso, onde germinam e se reproduzem. No intestino grosso, a combinação única das 4 cepas do Bacillus clausii interagem com a microbiota ali presente e promovem seus benefícios, comprovados cientificamente, através da recuperação e manutenção do ecossistema intestinal4,5

Fique Informado

Descubra como diferentes gatilhos diários podem estar contribuindo para o desequilíbrio da flora intestinal e como um bom probiótico pode ser o aliado que você tanto precisava!

    1. Dysentery. NHS, 2020. Disponível em: https://www.nhs.uk/conditions/dysentery/. Acesso em: 16 nov. 2021.
    2. FERREIRA, J. Diarréia. Revista de Medicina, [S. l.], v. 26, n. 105, p. 51-60, 1943. DOI: 10.11606/issn.1679-9836.v26i105p51-60. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revistadc/article/view/48554. Acesso em: 12 nov. 2021.
    3. PFEIFFER, M. L.; DUPONT, H. L.; OCHOA, T.J. The patient presenting with acute dysentery--a systematic review. Journal of Infection, [S. l.], v. 64, n. 4, p. 374-86, 2012. DOI: 10.1016/j.jinf.2012.01.006. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/22266388/. Acesso em: 12 nov. 2021.
    4. CARMO, M. S. et al. Probiotics, mechanisms of action, and clinical perspectives for diarrhea management in children. Food & Function, [S. l.], v. 9, n. 10, p. 5074-5095, 2018. DOI: 10.1039/c8fo00376a. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30183037/. Acesso em: 12 nov. 2021.
    5. IANIRO, G. et al. Bacillus clausii for the Treatment of Acute Diarrhea in Children: A Systematic Review and Meta-Analysis of Randomized Controlled Trials. Nutrients, [S. l.], v. 10, n. 8, p. 1074, 2018. DOI: 10.3390/nu10081074. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30103531/. Acesso em: 12 nov. 2021.
    6. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Doenças infecciosas e parasitárias: guia de bolso. 8ª ed. rev. Brasília: Ministério da Saúde; 2010. 444p. Série B. Textos Básicos de Saúde.
    7. What to know about leaky gut syndrome; MedicalNewsToday, August 2019 [quoated June 2021]
    8. Product information and Healthy Eating Pyramid; Harvard T.H. CHAN, [quoated June 2021]
    9. Shi HL, Balakrishnan K, Thiagarajah K et al. Beneficial Properties of Probiotics. Tropical Life Sciences Research. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5031164/ Acesso em 18 de maio de 2021.


    MAT-BR-2107365